Che Guevara: racista, homofóbico, homicida e fascista

Che Guevara foi um grande colaborador da revolução Cubana, ajudou a instaurar a mais longa ditadura do continente, espalhando um rastro de morte, destruição e miséria na ilha.

O Guerrilheiro que é ícone da esquerda, é visto como um herói, mas poucos o conhecem realmente e sabem a verdade sobre ele, se soubessem, talvez teriam vergonha de defende-lo com tano amor e paixão.

As figuras da esquerda Brasileira pregam contra a homofobia, racismo, ódio e extremismos, e por fim idolatrarem um homem que foi um dos mais sanguinários, racistas e homofóbicos do mundo, ordenando algumas milhares de execuções, como o próprio admitiu.

Vamos aos fatos

“Tenho que te confessar, papai, que nesse momento descobri que realmente gosto de matar”, Che Guevara.

“Eu não preciso de provas para executar um homem”, gritou Che para um funcionário do judiciário cubano em 1959.  “Eu só preciso saber que é necessário executá-lo!”

 

Che Guevara e Fidel Castro eram homofóbicos

Che Guevara viajou para Argélia e visitou a embaixada cubana local, ao olhar os livros da estante se deparou com o Teatro Completo de VirgilioPiñera e disparou: “Como é que você pode ter o livro dessa bicha na embaixada? ” E atirou o livro pela parede. (INFANTE, 1996, p.341).

Fidel Castro ate admitiu que ele e Che Guevara perseguiram gays durante a revolução (Fidel admite que perseguiu gays)

“Nunca acreditamos que um homossexual possa incorporar as condições e requisitos de conduta que nos permitam considerá-lo um verdadeiro revolucionário. Um desvio dessa natureza se choca com o conceito que temos do que deve ser um militante comunista”, declarou Fidel em 1965

Che Guevara era racista

“Os negros, os mesmos magníficos exemplares da raça africana que mantiveram sua pureza racial graças ao pouco apego que têm ao banho, viram seu território invadido por um novo tipo de escravo: o português […] O desprezo e a pobreza os unem na luta cotidiana, mas o modo diferente de encarar a vida os separa completamente; o negro indolente e sonhador gasta seu dinheirinho em qualquer frivolidade ou diversão, ao passo que o europeu tem uma tradição de trabalho e de economia que o persegue até estas paragens da América e o leva a progredir”. (CASTAÑEDA, 2006, p.75; KALFON, 1998, p.87)

Após chegar à Costa Rica, escreveu isto: “Fiquei do lado de fora com Socorro, uma negrita [neguinha] que eu tinha arranjado, com 16 anos no lombo e mais puta do que uma galinha.” (ANDERSON, 1997, p.143)

Che Guevara adorava o capitalismo 

Após a revolução, Che Guevara escolheu como residência a maior mansão cubana, em Tarara, uma casa à beira do mar com amplo conforto e luxo. A casa foi socializada de um empresário rico. Além disso, quando Che foi morto na Bolívia ele ostentava um Rolex no pulso.

 

Che Guevara ironicamente se tornou um símbolo do capitalismo, tornou-se em uma lucrativa marca de negócios 

 


A folha carioca


Leitura complementar

Livro – Diários de Motocicleta
Livro – O Verdadeiro Che Guevara e os idiotas úteis que o idolatram 
Como Che guevara se tornou num símbolo do capitalismo
Che Guevara: A Biography

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *